SalmosSelect another book


Chapter 138 of 150

1Ao mestre de canto. Salmo de Davi. Senhor, vós me perscrutais e me conheceis,*

2sabeis tudo de mim, quando me sento ou me levanto. De longe penetrais meus pensamentos.

3Quando ando e quando repouso, vós me vedes, observais todos os meus passos.

4A palavra ainda não me chegou à língua, e já, Senhor, a conheceis toda.

5Vós me cercais por trás e pela frente, e estendeis sobre mim a vossa mão.

6Conhecimento assim maravilhoso me ultrapassa, ele é tão sublime que não posso atingi-lo.

7Para onde irei, longe de vosso Espírito? Para onde fugir, apartado de vosso olhar?

8Se subir até os céus, ali estareis; se descer à região dos mortos, lá vos encontrareis também.

9Se tomar as asas da aurora, se me fixar nos confins do mar,

10é ainda vossa mão que lá me levará, e vossa destra que me sustentará.

11Se eu dissesse: “Pelo menos as trevas me ocultarão, e a noite, como se fora luz, me há de envolver”.

12As próprias trevas não são escuras para vós, a noite vos é transparente como o dia e a escuridão, clara como a luz.*

13Fostes vós que plasmastes as entranhas de meu corpo, vós me tecestes no seio de minha mãe.

14Sede bendito por me haverdes feito de modo tão maravilhoso. Pelas vossas obras tão extraordinárias, conheceis até o fundo a minha alma.

15Nada de minha substância vos é oculto, quando fui formado ocultamente, quando fui tecido nas entranhas subterrâneas.

16Cada uma de minhas ações vossos olhos viram, e todas elas foram escritas em vosso livro; cada dia de minha vida foi prefixado, desde antes que um só deles existisse.*

17Ó Deus, como são insondáveis para mim vossos desígnios! E quão imenso é o número deles!

18Como contá-los? São mais numerosos que a areia do mar; se pudesse chegar ao fim, seria ainda com vossa ajuda.

19Oxalá extermineis os ímpios, ó Deus, e que se apartem de mim os sanguinários!*

20Eles se revoltam insidiosamente contra vós, perfidamente se insurgem vossos inimigos.

21Pois não hei de odiar, Senhor, aos que vos odeiam? Aos que se levantam contra vós, não hei de abominá-los?

22Eu os odeio com ódio mortal, eu os tenho em conta de meus próprios inimigos.

23Perscrutai-me, Senhor, para conhecer meu coração; provai-me e conhecei meus pensamentos.

24Vede se ando na senda do mal, e conduzi-me pelo caminho da eternidade.