SalmosSelect another book


Chapter 36 of 150

1De Davi. Não te irrites por causa dos que agem mal, nem invejes os que praticam a iniquidade,*

2pois logo eles serão ceifados como a erva dos campos, e como a erva verde murcharão.

3Espera no Senhor e faze o bem; habitarás a terra em plena segurança.

4Põe tuas delícias no Senhor, e os desejos do teu coração ele atenderá.

5Confia ao Senhor a tua sorte, espera nele, e ele agirá.

6Como a luz, fará brilhar a tua justiça; e como o sol do meio-dia, o teu direito.

7Em silêncio, abandona-te ao Senhor, põe tua esperança nele. Não invejes o que prospera em suas empresas, e leva a bom termo seus maus desígnios.

8Guarda-te da ira, depõe o furor, não te exasperes, que será um mal,

9porque os maus serão exterminados, mas os que esperam no Senhor possuirão a terra.

10Mais um pouco e não existirá o ímpio; se olhares o seu lugar, não o acharás.

11Quanto aos mansos, possuirão a terra, e nela gozarão de imensa paz.*

12O ímpio conspira contra o justo, e para ele range os seus dentes.

13Mas o Senhor se ri dele, porque vê o destino que o espera.

14Os maus empunham a espada e retesam o arco, para abater o pobre e o miserável, e liquidar os que vão no caminho reto.

15Sua espada, porém, lhes traspassará o coração, e seus arcos serão partidos.

16O pouco que o justo possui vale mais que a opulência dos ímpios;

17porque os braços dos ímpios serão quebrados, mas os justos o Senhor sustenta.

18O Senhor vela pela vida dos íntegros, e a herança deles será eterna.

19Não serão confundidos no tempo da desgraça e nos dias de fome serão saciados.

20Porém, os ímpios perecerão e os inimigos do Senhor fenecerão como o verde dos prados; desaparecerão como a fumaça.

21O ímpio pede emprestado e não paga, enquanto o justo se compadece e dá,

22porque aqueles que o Senhor abençoa possuirão a terra, mas os que ele amaldiçoa serão destruídos.

23O Senhor torna firmes os passos do homem e aprova os seus caminhos.

24Ainda que caia, não ficará prostrado, porque o Senhor o sustenta pela mão.

25Fui jovem e já sou velho, mas jamais vi o justo abandonado, nem seus filhos a mendigar o pão.

26Todos os dias empresta misericordiosamente, e abençoada é a sua posteridade.

27Aparta-te do mal e faze o bem, para que permaneças para sempre,

28porque o Senhor ama a justiça e não abandona os seus fiéis. Os ímpios serão destruídos, e a raça dos ímpios exterminada.

29Os justos possuirão a terra, e a habitarão eternamente.

30A boca do justo fala sabedoria e a sua língua exprime a justiça.

31Em seu coração está gravada a Lei de Deus; não vacilam os seus passos.

32O ímpio espreita o justo, e procura como fazê-lo perecer.

33Mas o Senhor não o abandonará em suas mãos e, quando for julgado, não o condenará.

34Põe tu confiança no Senhor, e segue os seus caminhos. Ele te exaltará e possuirás a terra; a queda dos ímpios verás com alegria.

35Vi o ímpio cheio de arrogância, a expandir-se com um cedro frondoso.

36Apenas passei e já não existia; procurei-o por toda a parte e nem traço dele encontrei.

37Observa o homem de bem, considera o justo, pois há prosperidade para o pacífico.

38Os pecadores serão exterminados, a geração dos ímpios será extirpada.

39Vem do Senhor a salvação dos justos, que é seu refúgio no tempo da provação.

40O Senhor os ajuda e liberta; arranca-os dos ímpios e os salva, porque se refugiam nele.